Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 23 de abril de 2021.
16/03/2021
Blog
6 Alternativas para Brilhar no Mercado da Criação de Conteúdo, que está em Alta
Mesmo com pandemia, esta área cresceu 74% em 2020, segundo o Linkedin;
 
Talvez, você queira mudar de emprego durante a pandemia. Ou talvez pense em entrar no mercado de trabalho neste período. E aí, surge um dilema: qual área escolher que não corra o risco de ser afetada pelos efeitos da Covid-19? Se esta é sua dúvida, saiba que, enquanto diversos setores foram afetados e fecharam postos no último ano, um cresceu 74% só em 2020, segundo o Linkedin - e deve continuar em alta por muito e muito tempo: produção de conteúdo.
 
Cada vez mais, o mercado pede profissionais criativos e que saibam planejar, desenvolver e finalizar conteúdos de qualidade. Isso para ações de marketing de conteúdo ou digital.
 
Algo que pesa nisso é o número crescente de pessoas conectadas à internet. Para que se tenha ideia, segundo relatório da Cisco, o mundo tinha 3,9 bilhões de usuários da rede em 2018, mas serão 5,3 bilhões em 2023, crescimento de 36% no período. E vale destacar um detalhe: nem a pandemia pode evitar esta alta. Muito pelo contrário. Com as pessoas mais tempo em casa e isoladas, mais o consumo digital aumenta.
 
Portanto, ano a ano, mais gente acessa à internet. Isso quer dizer que o número de possíveis clientes também vai aumentando para quem faz negócios via rede mundial de computadores. Mas, como alcançar este público? Por meio de conteúdo criado por produtores capacitados, que leve pessoas a consumirem produtos e serviços.
 
Talvez, agora, o questionamento seja outro: "Beleza, entendi. Mas, quais opções eu tenho para começar a produzir o conteúdo?". Ah... existem vários... Vamos ver seis deles.
 
 
Já falamos da Cisco. Então, vamos falar de novo! Outro relatório da empresa apontou algumas coisas beeeem legais. Uma delas é que 80% dos usuários têm preferência por consumir conteúdo audiovisual do que ler um blog post ou um texto. Outro levantamento revela que 80% dos internautas buscam vídeos enquanto pesquisam sobre um produto que desejam adquirir. Na prática, isso quer dizer que vender por meio de vídeo é uma baita sacada.
 
As empresas sabem disso. Não é à toa que, em 2020, 62% das agências de criação esperavam elevar a produção de vídeos.
 
Com a crescente demanda, também aumentou a necessidade de produtores e de editores. É por isso que esta é uma profissão em alta e que deve ficar assim por muito tempo.
 
Para ser um criador de vídeos, é necessário, antes de tudo, saber editar um vídeo. Afinal, de nada adianta ter um bom conteúdo e não saber como editá-lo antes de sua veiculação. Para este primeiro passo, um programa recomendado é o Adobe Premiere, que é usado por empresas, agências, canais de televisão e freelancers. Clicando aqui, você conhece um dos cursos mais completos do mercado.
 
2. Youtuber
 
Falar de vídeos e não lembrar do YouTube é impossível. Difícil desassociar uma coisa da outra, já que o a mídia social foi a grande responsável pelo boom audiovisual na internet.
 
Alguns dados interessantes: o YouTube é o segundo maior buscados da Web, atrás somente do Google. Outro ponto: a pandemia fez aumentar em 91% o tempo que o brasileiro fica neste site. E, quanto mais gente no ambiente, mais dinheiro circula ali.
 
Nesta rede social, os conteúdos ficam dentro de canais, e seus acessos podem render dinheiro para os donos dos canais. Há várias formas de se veicular um conteúdo ali. Uma delas é sendo um youtuber.
 
Este profissional é aquela personalidade que se apresenta em seu canal (ou no canal de alguém) ou uma pessoa que, mesmo sem aparecer, cria conteúdo para a rede, atendendo seu público, desenvolvendo uma identidade e, finalmente, ganhando dinheiro.
 
Quer começar? Clique aqui e veja como se tornar um youtuber.
 
 
Você já viu alguma campanha, algum comercial ou coisa parecida sem uma boa imagem? Claro que não! Outdoors, blog post, matérias jornalísticas ou publicitárias... Tudo tem foto! Logo, este é um mercado sempre aquecido, e não dá para se aventurar de qualquer jeito. Não basta ter criatividade. É preciso ter diferenciais.
 
Por isso, estudar a plástica de uma bela foto e as técnicas necessárias para a realizar é fundamental. Conhecer tudo sobre o equipamento e seu funcionamento também. Não dá, por exemplo, para pensar na melhor foto e escolher a abertura errada do diafragma. Ela pode ficar escura demais ou muito clara, inutilizando o material.
 
É fato que, todo dia, surgem novos fotógrafos. Por isso, Eem um mundo tão concorrido como este, não dá para errar. É necessário se destacar dos demais. Por isso, para a produção de conteúdo de qualidade neste campo, a profissionalização não é opção. É obrigação.
 
Quer dar um passo à frente em relação aos concorrentes? Comece por aqui.
 
4. Editor de fotografia
 
Toda foto passa por tratamento. Por melhor que seja, ela vai ter de ser analisada por um editor, que vai fazer de tudo para que ela fique ainda melhor. Isso não é adulterar. É editar, aperfeiçoar, corrigir.
 
Trata-se de uma função técnica, operada por meio de programas de edição, sendo o mais conhecido o Adobe Photoshop. Este é um software cheio de recursos, dos mais simples aos mais complexos. Quem o domina, domina a edição e vai produzir conteúdos, ou finalizá-los, com maestria. E vai ganhar dinheiro.
 
É possível aprender a utilizar e conhecer bem o Photoshop em menos de sete dias. Quer saber como? Clique aqui.
 
 
Tanto para redes sociais quanto para blogs, sites e até produtos jornalísticos, usam-se gráficos e infográficos, um tipo de peça visual recheada de informações, cujo objetivo é facilitar a compreensão do conteúdo.
 
Apesar disso, ele é complexo de ser executado, tendo de ser produzido por meio de um programa especializado. Um deles, que é referência no mercado, é o CorelDraw. Trata-se de um software de desenho vetorial voltado ao design gráfico. Ele permite a criação de itens como logotipos, desenhos, infográficos e muito mais.
 
Cheio de recursos e possibilidades, ele amplia os horizontes do designer, que poderá trabalhar em várias frentes com seus conteúdos criados. É uma boa alternativa, inclusive, para freelancers.
 
Quer conhecê-lo melhor e aprender a usar esta poderosa ferramenta? Então, clique aqui.
 
 
Esta é uma profissão da moda. Culpa da dimensão que as redes sociais e a internet ganharam nos últimos anos - e devem continuar ganhando.
 
O marketing digital é um conjunto de ações, que tem vários objetivos, como conquistar clientes, educar o mercado e fazer negócios. Isso é feito por meio de várias movimentações nos mais diversos meios possíveis de divulgação, sejam sites, sejam redes ou mídias.
 
Entretanto, há uma infinidade de opções. Exemplos:
 
A) Pergunta: qual é melhor rede social para as ações de marketing? Resposta: depende.
B) Pergunta: em qual estágio está meu (possível?) cliente? Resposta: depende.
C) Pergunta: qual é a melhor estratégia de conteúdo? Resposta: depende.
 
Essas perguntas, bem como suas possíveis respostas, vão ser estudadas por um profissional de marketing, que vai avaliar os mais variados cenários, a fim de responder cada questionamento. Uma análise correta vai trazer frutos (dinheiro) para a empresa, mas um erro vai gerar despesas.
 
Por isso, é preciso compreender bem todo o mercado, público, opções, métricas...
 
Tem muita gente que tenta entrar na área, mas acaba sendo só mais um. O desafio é não ser um "aventureiro". Tornar-se especialista, organizando e planejando a produção de conteúdo de sua empresa ou da companhia em que trabalha, é o que o mercado busca.
 


Atalhos da página

CONHEÇA AS ROTAS

Plano E-Solution Smart - Todos os direitos reservados
(00) 0000 - 0000 | contato@seudominio.com.br
Rede Corporativa e-Solution Backsite